Breve história dos fliperamas em Florianópolis

Meu primeiro contato com os jogos eletrônicos foi através do fliperama. Mais especificamente, um fliperama que era localizado onde hoje é a farmácia Panvel, na esquina do calçadão que dá saída para a Praça XV de Novembro. Isso no distante ano de 1979 ou 1980 (eu tinha por volta de 5 anos de idade e ia com meu pai). Na época, a Taito do Brasil (estabelecida em 1972) estava a todo vapor e o Space Invaders da Taito estava explodindo em sucesso. Tanto que o fliperama se chamava TAITORAMA. Segue foto abaixo da época, raríssima, mas é possível confirmar a localização:

(créditos foto IG @andregonzagaa)

Os jogos que eu lembro de ter visto neste fliperama, que me marcaram, foram:

• Space Invaders:
com o “overlay” sobre a tela, exatamente como na foto abaixo.

Night Driver

Taito Interceptor:
é um jogo com o gameplay similar ao Air Raiders do Atari 2600 e me marcou pois meu pai me colocou pra jogar. Uma curiosidade sobre minha experiência é que eu não sabia o nome do jogo mas tinha uma vaga idéia de como era, e que deveria ser da Taito (pois estava em um “Taitorama”), até que, lendo o livro “Armada” de Ernest Cline (autor de “Jogador Nº 1”), ele menciona “Taito Interceptor” em determinado momento e fui na internet buscar o nome por imagem e bateu com a lembrança 100%, sim, era esse o jogo!

Bazooka:
este é outro jogo que era bem comum de encontrar até mais tarde, na segunda metade dos anos 1980, pois era colocado em estandes estilo “tiro ao alvo” durante eventos como a Festa da Laranja.

(créditos foto VEJA SÃO PAULO)

Anos depois deste primeiro contato, teve o fliperama dentro do Shopping Itaguaçu, onde eu só lembro bem do jogo “1942” da Capcom (lançado em 1984). Isso foi por volta de 1986.

Depois, aconteceu o que considero a “Era de Ouro” do meu ponto de vista, devido à grande variedade de jogos e estilos diferentes: Play Young e Play Fashion, do outro lado da Praça XV, esquina com a R. Dos Ilhéus, mais próximos à catedral. Nesses fliperamas estavam os jogos:
Xevious
Double Dragon
Shinobi
Flying Shark
1943
Robocop
• Golden Axe
• Ghost ‘n Goblins
• Rygar
• Altered Beast
• Operation Wolf
• Michael Jackson’s Moonwalker
• Out Run
• After Burner
• Galaxy Force II
• Hard Drivin’

…e por aí vai. Isso ocorreu por volta de 1988 até 1994, aproximadamente. Lembrando aos mais jovens, da era moderna do “cartão”, que nessa época se usava uma ficha de metal do tamanho aproximado de uma moeda de 1 real.

(créditos foto cortesia R7)

Em 1991 foi lançado Street Fighter 2, fenômeno mundial. Por volta de 1992 o jogo já estava disponível por aqui, primeiro no Play Fashion, na versão original SF2: The World Warrior. Depois o Play Young contra-atacou, colocando o Street Fighter 2: Champion Edition. Havia também a necessidade de colocar 2 máquinas, tamanha era a demanda. Quanto ao Mortal Kombat, vale lembrar que havia outro fliperama, menor, mas na rua do Colégio Catarinense, e assim pegava bem o fluxo de alunos indo e vindo para este colégio. Neste fliperama, lembro de ter visto pela primeira vez:

Rastan
• Teenage Mutant Ninja Turtles


…e o famoso Mortal Kombat. Claro, era uma máquina “bootleg”. Os gabinetes originais, só no fliperama dentro do Shopping. Que era em geral mais caro, com os agravantes de “2 fichas para uma jogada” e coisas do tipo. Que provavelmente era a saída para que os caros originais importados se pagassem!

Pouco depois, apareceu aquele famoso fliperama grande de 3 andares, que é o que a maioria lembra. Ficava no calçadão em frente do local onde hoje tem um McDonalds (R. Trajano, 114). Ali tinha Samurai Shodown, Sunset Riders e Metal Slug, no primeiro piso (as máquinas novas e badaladas) e cada piso colocavam máquinas cada vez mais antigas. Acho que perdurou até finalzinho dos anos 1990. Hoje ainda tem no Floripa Shopping e um no Shopping ViaCatarina em Palhoça que tem até Cadillacs and Dinosaurs. Concluindo, na segunda metade dos anos 1990 o foco era muito em jogos de luta, e estavam aparecendo jogos da geração 32-bit como o Tekken, também de luta. A variedade de gêneros que se tinha no começo daquela década (tiro/nave, briga de rua/brawler, aventura/plataforma etc), foi meio que perdida, o gênero de luta meio que saturado.
Para quem tiver interesse na história dos fliperamas no Brasil, recomendo dar uma olhada neste artigo de autoria de Augusto Campos: https://augustocampos.net/taito-brasil

…onde se encontram informações muito interessantes, como por exemplo, sabiam que a Taito do Brasil era a dona da marca SEGA no Brasil, até vender para a TecToy?

_____________________________________________________________________________________________________________
Dante Mendes De Patta tem formação em Design, com linha de formação em Design de Jogos e Entretenimento Digital, pela Universidade do Vale do Itajaí, e trabalha com desenvolvimento de jogos digitais para diversas plataformas, inclusive retro (em um futuro próximo, se tudo der certo).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *