MASTER SYSTEM EVOLUTION – RESTAURAÇÃO.

SALVANDO DA SUCATA

Muitos dos consoles clássicos, vão parar no lixo, devido a defeitos que muitas vezes os técnicos que os recebem, classificam o problema como “não compensa consertar”,  e este foi o caso deste Master System Evolution, um Master System “emulado” sem entrada para cartuchos e com 132 jogos na memória.

É daqueles consoles odiados pois apenas carrega uma placa do tamanho de um cartão de crédito contendo todos os jogos e componentes emulados do console original (fora a carcaça de plástico desproporcional). A TecToy utilizou muito desta “miniaturização” em consoles relançados.

No caso deste console, apesar das críticas, eu considero a emulação dos jogos bem desenvolvida e o mesmo não decepciona (ao contrário do Mega Drive 4 – Guitar Idol).

MÃOS A OBRA

(Antes de mais nada, é necessário um mínimo de conhecimento em eletrônica, então qualquer operação é por sua conta e risco).

Recebi este console que iria para o lixo, desta forma, sem parafusos e somente com a placa “principal” e a placa de saída de vídeo, sinal de que o problema encontrado pelo técnico, foi a fonte queimada, e o mesmo descartou a placa e o console todo.

Esta é uma foto do conteúdo original do console com a fonte.

Primeira coisa foi encontrar uma fonte que pudesse gerar a energia para a placa principal, o doador foi uma fonte de celular. Como aparece na placa mãe do console, ele só precisa de 5V de alimentação, então facilmente poderia ser extraída da saída USB do carregador de celular.

O doador da fonte de energia.

Pontos de alimentação (interessante este pino Pause que não tem botão físico no aparelho)

QUEM VÊ CARA, NÃO VÊ CORAÇÃO

Agora vem a parte divertida, com a fonte desmontada, foi só providenciar um cabo de alimentação, (cortar a parte circulada), e soldar nos terminais de entrada da fonte de celular. (muito cuidado para soldar exatamente onde estavam os dois fios amarelos da ligação original.

Depois, com um multímetro, descobrir onde ficam as saídas GND e 5V na parte de baixo da fonte (embaixo do conector USB), soldar dois fios (podem ser fios simples, pois a voltagem é baixa), aconselho utilizar um fio vermelho para o 5V e um preto para o GND, como eu tinha só Roxo, tive que usar esse mesmo.

Conectar o fio GND (Preto) direto na “placa mãe”.

O fio com saída 5V, você pode adaptar um interruptor para manter o botão de liga-desliga do console, no meu caso colei (com cola quente) o mesmo na base.

Diagrama de milhões feito no Paint.

O resultado não ficou bonito, mas ficou funcional, não cheguei a fotografar depois que organizei tudo, mas acho que já da pra entender como fica a gambiarra.

Então, apesar de odiado, este console merecia uma sobrevida, e com uma solução prática e barata, compensa salvar mais um aparelho da reciclagem. Obrigado e até o próximo post.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *